Menu de Páginas do Blog

Foco no Empreendedorismo em Rede

Para que você quer um diploma?

É admirável e inspirador ver alguém que passou anos numa sala de aula em sua fase adulta, conseguir com honras uma graduação de nível superior. Este é o lado bom da formação. O lado da superação, da conquista e da vitória sobre alguns desafios impostos pela vida.

Mas também existe o lado escuro da força. Aquele que ninguém imagina que existe ao iniciar sua caminhada numa faculdade(ou que pelo menos faz de conta que não existe): me refiro àqueles que fazem um curso ou uma faculdade apenas pelo diploma, para dizer que tem um título, e não pelo conhecimento ou para ser alguém melhor na vida. E são muitos. Pobres coitados.

E para falar disso, não é preciso complicar muito. Basta dizer que talvez a probabilidade de que o diploma te dê 100% daquilo que você espera dele, seja semelhante à probabilidade de você ganhar na loteria. Será preciso mais que um diploma se quiser se dar bem lá fora, no mercado de trabalho.

Para entender isso, vamos ver um pouco do que o diploma não pode fazer por você. Ele NÃO:

  • É garantia de um ótimo emprego(nem mesmo de um emprego mediano);
  • Te dá o status de ser melhor que ninguém;
  • Facilita a competição no mercado de trabalho;
  • Demonstra com fidelidade quais são suas qualidades e habilidades pessoais e profissionais; e
  • Significa que você se formou no que realmente gostaria de ter se formado.

Vou parar por aqui, mas a lista é longa.

Considerando uma hipótese bastante otimista, o seu diploma será apenas um belo enfeite, num marco caro, na parede da sala ou do escritório. Algo mais realista, seria apenas uma bela foto no dia da colação.

Mas, então, pra quê estudar se, segundo este texto, o diploma vale nada ou muito pouco? Primeiramente, o diploma tem valor sim, desde que respaldado pelo conhecimento obtido no curso. Mas a resposta principal é: Pessoas. Essa é a resposta. Você estuda para conhecer pessoas, ter experiências e absorver o melhor disso tudo.

Há muitas coisas que são subvalorizadas numa graduação. Se observar do ângulo correto, tudo ali vale a pena: as noites mal dormidas, as apresentações que nos tiram da caixa, os relacionamentos de amor, amizade, indiferença e ódio que construímos, as experientes histórias dos professores, o bom e o ruim de cada colega de sala, o senso de equipe nos trabalhos, poder errar, e o mais importante: o networking.

Por tudo isso, é que as memórias e as aquisições intelectuais na graduação valem mais que qualquer diploma. E se você quiser apenas o diploma, saiba que não vale a pena gastar 4 ou 5 anos da sua vida fazendo o que não gosta. Mas se for encarar o desafio com a cara e a coragem, coloque o pedaço de papel assinado por alguma Magnificência em segundo plano e prepare-se para vivenciar alguns dos melhores e mais produtivos anos de sua vida.

O mesmo serve para a pós-graduação, mestrado, doutorado, etc. Tudo vale a pena se a alma não é pequena, já dizia o poeta. Por isso, estudar sempre é bom. Mas se for naquilo que ama, com foco e objetivos bem claros, é melhor ainda.

Antonio Martins Jr. – já publicou 233 posts neste blog.Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *