Menu de Páginas do Blog

Gestão | Empreendedorismo | Carreira

A produtividade e as oito horas que valem a pena

produtividade

Falando um pouco sobre a produtividade, é impressionante a quantidade de tempo que desperdiçamos com coisas que desviam o nosso foco das nossas atividades ou objetivos. Desta forma, as famosas oito horas  de trabalho parecem ser eternamente insuficientes para a execução das nossas obrigações. Mas não vou referir-me aqui somente às oito horas de trabalho. Neste post, vamos abranger as 24 horas do dia, dividindo-as em 3 partes, que deveriam ser: trabalho, lazer e descanso, com aproximadamente oito horas cada uma.

As oito horas de trabalho

Está mais do que provado que muita gente não precisa de oito horas para executar bem o seu trabalho. Em alguns casos, a combinação “organização + prioridades + foco”, é a fórmula perfeita para que o trabalho seja executado na metade do tempo normal. Mas então, por que além de não conseguir fazer bem o trabalho nestas oito horas, muitos profissionais acabam deixando parte do mesmo para o dia seguinte?

Para responder, eu separei duas causas básicas:

  • A primeira é a distração. Sim, a distração é nossa inimiga nº 1. Por exemplo: conversa jogada fora, frequentes bisbilhotadas nas redes sociais ou no sms, uma fofoquinha aqui e outra acolá, um game etc.
  • A segunda, é a ociosidade. Esta também consiste em uma causa mor da improdutividade no trabalho. Isto inclui: a preguiça, fazer corpo mole, desculpas infundamentadas, culpar os outros ou, até mesmo, utilizar a tpm ou outros problemas pessoais para não executar bem o seu trabalho.

Claro que existem alguns dias maus que, definitivamente, não estamos para nada nem para ninguém. Mas não é possível que todos os dias sejam tão maus assim. Aliás, dias piores podem ocorrer, como o dia da demissão, por exemplo, se a atitude não mudar.

Eu sei que estes exemplos são um pouco rudes. Mas veja por outro lado: Executar eficientemente a tarefa na metade do tempo, significa que sobrará a outra metade para estudar, descansar, ou realizar outro serviço ou atividade, gerando uma renda maior. Com a eficiência, só temos a ganhar. Podemos ganhar inclusive algumas promoções de cargo ou aumento de salários.

As oito horas de lazer

Se manter oito horas produtivas no trabalho é um desafio, ter horas reais de lazer é quase impossível.

Primeiro: principalmente nos grandes centros urbanos, uma média de 2 horas e meia são desperdiçadas nos engarrafamentos e/ou no transporte público todos os dias. Depois, das 5 horas e meia restantes, se o trabalhador também estuda(curso, faculdade, escola etc), lá se vão mais 3 horas e meia, em média, na sala de aula, sobrando apenas 2 horas. Que, por sua vez, desaparecerão entre o café da manhã e a janta e os preparativos para ir trabalhar ou dormir.

Claro, aos finais de semana é possível ter algo de lazer, desde que não haja o que fazer em casa, o que será, quase sempre, muito pouco provável.

As oito horas de descanso

A OMS recomenda um sono de sete a oito horas diárias, para descansarmos e recarregar as nossas baterias. Mas, para isto, também será necessária muita disciplina e força de vontade. Pois, são muitas as situações que podem interferir no sono: preocupações, estresse, trabalho, pessoas, games, estudos, leituras, filmes, ruídos na rua etc. Além disso, existem mais de 80 tipos de distúrbios e síndromes do sono listados pela CIDS (Classificação Internacional dos Distúrbios do Sono), que não colaboram em nada para um descanso digno. Além disso, aproximadamente 40% das pessoas não conseguem conciliar o sono por sete horas seguidas.

Agora, quais soluções podemos criar para que estas oitos horas sejam válidas ?

  • No caso do trabalho, tente organizar-se e identificar as prioridades. Logo, mantenha o foco e evite as distrações.
  • No caso do lazer, tente, na medida do possível, não gastar tanto tempo no trânsito e, aos poucos, implante um happy hour em família ou com os amigos na sua agenda. Procure que estes momentos sejam frequentes, diários.
  • No caso do descanso, crie uma rotina e priorize o ritual da hora de dormir. Para os barulhos, tente um protetor de ouvidos, com os devidos cuidado, claro. Procure a ajuda de um profissional se desconfiar que se trata de um problema psicológico. Isto, sem contar que uma noite mal dormida fatalmente se refletirá na improdutividade no dia seguinte.

Nesta matéria, basicamente, abordamos questões de gestão de tempo, e vimos que tempo não é só dinheiro, como dizem por aí. Tempo também é qualidade de vida.

About Antonio Martins Jr.
Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *