Menu de Páginas do Blog

Gestão | Empreendedorismo | Carreira

O que fazer quando a admiração se converte em inveja dentro do ambiente de trabalho?

Que no ambiente corporativo, entre os colegas de trabalho, existe uma concorrência acirrada pelas melhores posições, todo mundo sabe. Afinal, neste entorno, alguns tem mais potencial que outros. O resultado desta concorrência dá origem a outra disputa: a de quem se destaca mais, para ser promovido primeiro.

As comparações entre profissionais nem sempre são saudáveis, e, também, podem gerar um certo mal-estar em quem não gosta de ficar exposto. Mas ainda assim, as comparações são inevitáveis. Seja por parte da diretoria, ou mesmo entre os próprios profissionais. Mesmo quem afirma não estar nem aí com a opinião dos outros, não pode evitar uma ocasional comparação. No fundo, quando alguém confessa que o outro tem um bom gosto para vestir-se, por exemplo, automaticamente está reconhecendo que o outro é melhor que si próprio no quesito vestimenta.

No ambiente de trabalho, onde todos os colegas são constantemente observados uns pelos outros, é inevitável concluir que uns se destacam mais que outros em alguns aspectos. O problema começa quando alguém decide se concentrar em um único colega, geralmente, um que tenha alguma habilidade que o observador gostaria de ter.

Em um princípio, esta comparação resulta em admiração, porém com o passar do tempo pode conduzir a um sentimento, no mínimo, desagradável: a inveja. Nas suas últimas consequências, a inveja faz com que quem era admirado, passe a ser detestado. Logo, ao perceber que não conseguirá igualar-se ao invejado, o invejoso fará o que puder para destruir o objeto de sua “admiração”. A estratégia quase sempre é a mesma: causar intriga para depreciar a reputação do colega invejado. Em outras palavras, se não é possível ser como ele, é preciso fazer com ele pareça pior do que é. Ou seja, o observador invejoso empregará todas as suas energias para nivelar o jogo por baixo!

Nestes casos, é obvio que quem tem problemas de caráter é o invejoso, e não o invejado. Portanto, a sugestão para que está passando por isto, em qualquer dos dois extremos é: superar-se a si mesmo e melhorar sempre, independente do desempenho dos outros colegas. Desta forma, não precisará preocupar-se com a concorrência, nem com a possível ameaça sobre a sua posição na empresa. Agindo assim, estará blindado diante de qualquer eventualidade que possa deixar-lhe em xeque. Além disso, poderá garantir-se pelas suas próprias qualificações e profissionalismo para manter-se bem posicionado, ou para conquistar com méritos a posição almejada.

About Antonio Martins Jr.
Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *