Menu de Páginas do Blog

Foco no Empreendedorismo em Rede

Seu Fluxo de Caixa não está sendo levado a sério. E a culpa é sua.

A maioria dos empreendedores de pequenos negócios erram feio ao ignorar o seu Fluxo de Caixa. Esse descuido, muitas vezes atribuído ao corre-corre frenético do dia-a-dia ou ao seu desconhecimento do assunto, os obrigam(segundo eles) a priorizar outras atividades da empresa, deixando a alma do negócio em segundo, terceiro ou último plano. Erro crasso, grosseiro.

Por que o Fluxo de Caixa deveria ser uma prioridade do negócio? Porque ele encerra as respostas para as seguintes perguntas: Qual é a minha disponibilidade em Caixa? Quanto disso posso investir? Qual o limite de descontos que posso oferecer aos meus clientes? Deveria dar descontos? Quanto falta para atingir o meu ponto de equilíbrio? A previsão deste mês é de lucro ou prejuízo? Devo manter o pessoal, contratar novos colaboradores ou demitir alguém? Se continuar neste ritmo, como estará o negócio em 12 meses? E em 24? Entre outras.

Em síntese, quase todo o diagnóstico da saúde da empresa passa pelo Fluxo de Caixa. Sem as respostas adequadas, é impossível prever se uma tomada de decisão foi bem ou mal sucedida. Geralmente, em casos de decisões tomadas à base de achismos, espera-se apenas pela sorte ou pelo baque, para saber o resultado. Definitivamente, essa não é uma opção razoável para uma empresa séria.

Tipos de Fluxo de Caixa

Basicamente um Fluxo de Caixa carrega as informações de Receitas e Despesas, ou seja, entradas e saídas de dinheiro na empresa. Existem fluxos de caixa operacionais, de investimento, de financiamento e outros. Vou me concentrar em dois, que tem a ver com o operacional, que é o que mais importa para um pequeno empreendedor: 1. Fluxo de Caixa Diário e 2. Projeção do Fluxo de Caixa. Sem delongas, o conceito é simples: o primeiro é lançado diariamente, conforme o movimento dos ativos do negócio(compras, vendas, pagamentos, recebimentos, descontos, devoluções etc); e o segundo é uma simulação, com base no histórico do negócio e nas suas expectativas, sobre os mesmos lançamentos futuros. Desta forma, sabe-se perfeitamente sobre o que está acontecendo em tempo real e o que pode vir pela frente. Em resumo, a empresa está totalmente dentro do campo de visão do empreendedor, o que lhe dá maior controle sobre o seu presente e o seu futuro. Além de minimizar a probabilidade de surpresas desagradáveis.

Infelizmente, muitos empreendedores concentram toda sua atenção ao seu faturamento. Mas, nem sempre um faturamento alto significa que a empresa está saudável. Inclusive, muitos empreendedores chegariam à conclusão de que sua empresa sequer deveria ser aberta, se tivessem feito estudo sério com uma projeção de caixa antes de decidir investir seus poucos recursos em um elefantinho branco, que não lhe dará mais que dores de cabeça e que, com sorte, sobreviverá até o segundo ano de vida, antes dar seu último suspiro, deixando atrás um rastro de decepção e prejuízos.

Se a sua empresa será bem ou mal sucedida, dependerá das decisões que você irá tomar. E, como já foi dito, quase todas as suas decisões devem passar pelo crivo do seu Fluxo de Caixa. Se ele for ignorado, a culpa de tudo o que possa acontecer(de bom ou de ruim) é de quem o ignorou.

About Antonio Martins Jr.
Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *