Menu de Páginas do Blog

Gestão | Empreendedorismo | Carreira

As boas ideias sempre estarão ao alcance dos bons empreendedores

Todos sabemos como é bom ter boas ideias. O melhor ainda é executá-las com êxito e obter ótimos resultados com elas. Quando falo em “ideias”, me refiro àquele momento abstrato, no qual somos surpreendidos por uma inspiração quase divina – sabe-se lá como -, que nos ajuda a elevar os nossos pensamentos vários níveis acima – sabe-se lá até aonde – e ficamos com a impressão de que nos deparamos diariamente com oportunidades que podem mudar a nossa vida – sabe-se lá de que maneira.

Mas nem sempre é assim, pois apesar de um ser humano dentro da média processar mais de 60 mil pensamentos por dia – mesmo sem perceber – e de que a maioria destes pensamentos configurem boas ideias, muito pouco ou quase nada é aproveitado. Por isso, neste post, vamos deixar de lado as abstrações e abordar a faceta mais prática e concreta do conceito de ideias e procurar outros meios para aproveitar melhor as oportunidades que estão por aí à espera de empreendedores para colocá-las em prática. Pois não basta somente ter boas ideias, para sermos bem sucedidos é preciso manter os pés no chão e a mira lá no alvo.

Como encontrar boas ideias?

Veja algumas dicas que ajudarão a identificar ideias que nos poderão ser úteis, mesmo quando a escura nuvem da falta de ideias pousar sobre nós:

Melhorar ideias subutilizadas

Existem ótimas ideias que, apesar de serem ótimas, estão muito aquém do que delas podemos esperar. Algumas delas, inclusive, estão quase inutilizadas. Um exemplo de alguém que soube aproveitar uma ideia que podia ser melhorada é o Google. Ele não foi o primeiro motor de buscas na Internet, mas foi o que adaptou, utilizou, revolucionou e rentabilizou de maneira brilhante a ideia, transformando-a em um dos melhores modelos de negócios, não só da Internet, mas da história.

Soluções a problemas pessoais

Muitas boas ideias de negócios surgem a partir das soluções que algumas pessoas encontraram, acidentalmente ou não, ao tentar resolver problemas pessoais. A maioria dos problemas são mais comuns dos que se pensa e frequentemente existem pessoas que compartilham as mesmas dificuldades e necessidades que outras. Neste caso, pode ser uma grande ideia publicar ou até mesmo comercializar a solução encontrada. Sempre haverá interessados na solução oferecida.

Brainstorming

A tempestade cerebral é um exercício mental muito útil e pode até tornar-se divertido. Consiste em escrever várias ideias em um papel e logo analisá-las para escolher as mais viáveis. Por exemplo: durante um período de dez dias escreva no papel pelo menos cinco ideias por dia. No final serão 50 ideias disponíveis e prontinhas para serem avaliadas. Escolha um grupo de amigos ou de pessoas de confiança para as avaliarem e opinarem quais são as melhores. O resultado pode surpreender.

Participar em eventos

É incrível o capital de conhecimento que podemos absorver em um simples workshop, palestra ou curso. Uma grande parte do conhecimento obtido pode transformar-se em ideias preciosas, ou pelo menos plantar os fundamentos para aprimorar alguma ideia que já tenhamos em mente.

Sonhos antigos

O decorrer da vida e as dificuldades que somos obrigados a enfrentar quase sempre se encarregam de engavetar ou sepultar os nossos sonhos. Muitas vezes, ao abrir e desempoeirar essas gavetas, e ao tentar resgatar alguns deles, podemos dar de frente com uma grande ideia. Lembre-se que os tempos atuais nos trouxeram novos conhecimentos, acesso ao dinheiro(crédito) e novas tecnologias que podem ajudar-nos a concretizar nossos sonhos mais antigos, por mais caros ou complexos que eles possam parecer.

Criar algo novo

Alguns dos riscos de criar algo novo são:

  • a incerteza da aceitação que a nossa ideia possa ter no nosso público-alvo; e
  • o pioneirismo de inventar um mercado praticamente inexistente.

Mas, se a ideia der certo, também pode nos dar o status de criadores de uma solução potencial e nos fazer ricos, muito ricos!, além enriquecer aos outros também. A isto eu chamo de empreendedorismo na sua maior expressão. Portanto, neste caso, quanto maiores forem os riscos, maiores serão as recompensas que teremos se a ideia funcionar.

Focar um nicho

Encontrar um nicho potencial de indivíduos que compartilham os mesmos conceitos ou problemas é o jeito mais fácil de identificar as dificuldades mais comuns entre eles. Daí, fica também mais simples formular uma ideia com alguma solução a estes problemas.

Seguramente há outros meios de aproveitar boas ideias. Mas, apesar de tudo o que vimos até aqui, o mais importante neste processo criativo é a atitude de colocar em prática as ideias formuladas. Pois, tratando-se de empreendedorismo, as ideias vagas e esvoaçantes valem pouco. O que vale mais é a sua execução.

Leia também:

About Antonio Martins Jr.
Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

2 Comments

  1. Estou fazendo um trabalho sobre Frederick Taylor,e estou precisando de um material que tenha alguma curiosidade e não estou encontrando,se você puder me ajudar a respeito, agradeço.

    Atenciosamente:Edivaldo Nascimento Oliveira

    • Oi Edvaldo,

      Neste post eu escrevi algumas informações curiosas sobre Taylor… mas você também pode encontrar vasto conteúdo em literaturas específicas de Administração. Procure os livros de TGA. Geralmente eles abordam em profundidade as teorias de Taylor.

      Abraço!

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *