Menu de Páginas do Blog

Gestão | Empreendedorismo | Carreira

Pensamento lateral

Imagine-se na seguinte situação: Você tem duas horas para multiplicar US$5 dólares em centenas de dólares. Isto aconteceu na Universidade de Stanford e foi relatado no livro “What I wish I Knew When I Was 20” por Tina Seelig.

Na atividade dois grupos de estudantes receberam um envelope fechado com US$5 dólares cada. O envelope não seria aberto até que os grupos apresentassem suas respectivas estratégias para trabalhar com esse dinheiro e multiplicá-lo.

A partir do momento que os envelopes fossem abertos só teriam duas horas para gerar todo o dinheiro possível em função da estratégia de negócios que houvessem idealizado.

No livro, a autora, diz que os jovens tinham desde quarta-feira de manhã até a tarde de domingo para criar uma estratégia. No domingo cada grupo deveria enviar uma apresentação em slides mostrando sua ideia, e na segunda-feira cada equipe teria somente 3 minutos para apresentar seus projetos.

Estratégias

Um dos grupos identificou a frustrante espera nos restaurantes mais populares durante as noites de sábado e decidiram oferecer uma solução aos clientes que não estavam dispostos a esperar. Realizaram várias reservas e as vendiam por até $20 dólares, assim os clientes “felizes” evitavam longas filas de espera.

A outra equipe montou um ponto de venda onde ofereciam de forma gratuita a outros estudantes medir a pressão de ar dos pneus de suas bicicletas, se precisassem ser calibrados cobravam $1 dólar pelo serviço. O resultado foi um grande número de clientes agradecidos. Depois da primeira hora, deixaram de cobrar US$1 dólar e passaram à modalidade de doação, como resultado aumentaram significativamente o retorno de seu empreendimento.

Para resumir, o grupo que mais lucrou nem chegou a gastar os $5 dólares iniciais e conseguiu arrecadar US$650 dólares. Eles argumentaram que focalizar unicamente o dinheiro daria mais relevância ao problema.

O “Five-Dollar Challenge” se converteu num grande sucesso na aprendizagem de empreendorismo entre os estudantes de Stanford.

O mais interessante ainda estava por vir. Esses estudantes olharam além dos US$5 dólares iniciais e das duas horas de prazo para multiplicá-los. O ativo mais valioso foram os três minutos da apresentação da segunda-feira. Criaram um comercial e o venderam para uma companhia que visava recrutar estudantes. Simplesmente brilhante!

Análise

  1. Não se concentraram no problema, reescreveram a pergunta e buscaram uma solução.
  2. O capital inicial do empreendimento é importante, mas a inteligência aliada à capacidade de encontrar uma solução viável e a aplicação da mesma é fundamental.
  3. O plano de negócios tem de ser o norte do empreendimento sempre. Focar-se no plano e ser capaz de fazer manobras arriscadas e certeiras durante o processo. Foi o que fez o grupo das bicicletas, na metade da tarefa readequaram a estratégia sem perder o foco.

O pensamento lateral é uma vantagem espetacular. Se aprendermos a pensar “fora da caixa” e olhar além do nosso campo de visão,  encontraremos uma fonte ilimitada de criatividade,  inovações e aplicações rentáveis para nosso negócio.

About Antonio Martins Jr.
Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

No Comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. Festa de gala no primeiro aniversário do Enfoquenet | Enfoquenet - [...] de Stanford foram os primeiros. Alegres e barulhentos ainda se gabavam, com todo direito, por ter conseguido multiplicar aqueles …

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *