Menu de Páginas do Blog

Gestão | Empreendedorismo | Carreira

Como saber se chegou a hora de mudar de emprego?

Possivelmente, a maioria dos leitores que chegarem até este post estão em dúvida se devem mudar de emprego e sair em busca de novas oportunidades no mercado de trabalho. Principalmente agora que, aparentemente, pelo menos aqui no Brasil, vivemos tempos de calmaria econômica e o mercado começa a dar sinais de que tem lugar para todo mundo.

A prova disto é que, recentemente, a presidenta Dilma Rousseff, em uma mensagem transmitida à nação, afirmou que o Brasil está quase atingindo o pleno emprego. Antes que alguém pense que esta declaração seja apenas parte de uma propaganda política, devemos observar outros índices que, de fato, mostram que isto realmente pode estar acontecendo. Um exemplo disto é a pesquisa elaborada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), que revela que o IMD (Índice de Medo do Desemprego) caiu entre os brasileiros, em 2012.

Mudar de emprego ou não?

Mesmo assim, contando com dados e estatísiticas favoráveis, se você está pensando em mudar de emprego agora, deve tratar de panejar cuidadosamente cada passo que pensa dar neste sentido. Porém, idependentemente de qualquer fator positivo ou negativo do mercado financeiro, há casos em que, definitivamente, manter o emprego atual já não é saudável nem para o funcionário e nem para a empresa. Portanto, neste artigo vamos identificar alguns sinais evidentes que demostram se é ou não o momento certo para sair e procurar novos horizontes.

Alguns deles são:

  • Sentir-se alegre fora e triste dentro da empresa;
  • Levantar da cama é um sacrifício;
  • Manter sempre um olhar crítico e focar facilmente, e em todo momento, os defeitos da empresa;
  • Não entender porque os colegas de trabalho conseguem se divertir durante o expediente, mesmo sem motivos aparentes que o façam valer;
  • Tudo é irritante: o barulho, o cheiro, a conversa sem sentido, o chefe que não merece o cargo, etc;
  • Percepção constante de que o tempo não passa e olhar repetidamente para o relógio, na expectativa de que o expediente se encerre logo;
  • Dizer não com frequência para convites ou sugestões dos colegas;
  • Sensação frequente de que as coisas não estão mudando, e se mudarem será para pior;
  • Falta de elogio ou reconhecimento da chefia por um longo período de tempo(mais de um mês);
  • Sensação, geralmente no final do dia, de que não colaborou em nada para o desenvolvimento da empresa.

Provavelmente exitem outros aspectos que indicam que o divórcio entre o funcionário e a empresa onde trabalha está bem próximo de acontecer. Quem sabe uma conversa franca com os seus superiores, solicitando a transferência para outro setor da empresa, possa amenizar esta agonia diária? Mas, talvez, somente a mudança de emprego seja realmente a sua cura definitiva para este sentimento.

About Antonio Martins Jr.
Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *