Menu de Páginas do Blog

Gestão | Empreendedorismo | Carreira

O telefone como ferramenta de marketing pessoal

A intenção deste texto é evitar que o seu marketing pessoal seja arruinado logo no primeiro telefonema profissional que alguém lhe fizer.

Já não é novidade que o comportamento adequado ao telefone é uma ferramenta fundamental quando o assunto é o marketing pessoal. Pois a comunicação, mesmo que seja feita à distância, faz parte da construção da nossa imagem pessoal e profissional. O problema é que poucos, muito poucos mesmo, atentam para isso.

Desta forma, listamos algumas dicas que visam melhorar o seu relacionamento com os outros, principalmente quando estiver falando com eles por telefone:

A primeira impressão

Via de regra, quando estiver ao telefone, demonstre simpatia, clareza, objetividade, cordialidade, gentileza e ânimo no que está fazendo.

Ouvir mais e falar o suficiente

Uma boa comunicação só pode ser estabelecida se o processo da emissão e de recepção da mensagem for constituído por bons ouvintes. Preste atenção no que o outro está dizendo e demonstre interesse pela conversa. Responda apenas o suficiente para não deixar dúvidas no seu interlocutor.

Evite gafes

Telefone fixo: Tenha sempre à mão papel e caneta para as anotações. Evite sempre que possível a clássica pergunta: “Desculpe, como é o seu nome mesmo?” Anote tudo logo de início: o nome da pessoa, de onde ela é ou quem ela representa, o nome do destinatário do recado (se for o caso), contatos para retorno, o horário da ligação, etc. Acredite, é melhor garantir a integridade da informação do que passar por maus bocados, confiando apenas na memória e acabar esquecendo algo importante ou criando ruídos na mensagem.

Telefone celular: Sempre que estiver em uma reunião, ou em uma visita externa, deixe o celular desligado ou em modo silencioso. Se tiver que atender uma chamada urgente, avise as pessoas presentes da necessidade de você atender à ligação, peça licença e seja breve.

Atenção: Procure dar toda atenção ao interlocutor enquanto está falando. Evite as interjeições como: hanran, hmmm, ééééé, entre outros.

O tom de voz

Ninguém mais além de você e seu interlocutor precisa saber do que estão falando ao telefone. Além disso, pense no quão desconfortável pode ser para o seu interlocutor ter que afastar o telefone do ouvido, por conta do seu sonoro tom de voz. A dica vale também para quem tem a voz “fraca” e, naturalmente, fala muito baixo. Lembre-se que ninguém é obrigado a tentar adivinhar o que você está falando. Treine bem o seu tom de voz.

Inconveniência

Seja cordial e, antes de iniciar a conversa, pergunte ao seu interlocutor se ele pode atendê-lo(a) naquele momento.

Franqueza

Se precisar deixar o interlocutor pendurado no telefone por alguns instantes, nunca peça um minuto, peça um momento. Estas esperas podem demorar mais que um minuto.

Indelicado

Não tente tapar o bocal do telefone para conversar com o colega ao lado. O seu interlocutor pode acabar escutando o que está falando e, convenhamos, manter uma conversa paralela pode parecer sinal de desprezo e desinteresse.

Boca cheia

Não atenda o telefone enquanto estiver comendo. Esta dica dispensa comentários.

Celular pessoal

No trabalho ou na sala de aula, no consultório médico e até no cinema e no teatro, o mais adequado é que o telefone fique desligado. Se precisar deixá-lo ligado, deixe-o em modo silencioso.

O toque

Evite toques engraçados ou inconvenientes. Ninguém é obrigado a saber que gênero de música você mais gosta, ou o que, na sua percepção, poderia ser engraçado ou estiloso.

Assuntos pessoais

Se precisar tratar de algo particular, faça-o em um lugar reservado e evite constrangimentos.

Alguns lembretes

  • Jamais chame um cliente de querido, meu bem, ou expressões parecidas;
  • Não discuta com parentes ou amigos no telefone do trabalho. Jamais;
  • Não faça ligações pessoais no telefone da empresa. Mesmo assim, se for realmente necessário, urgente e autorizado, seja breve;
  • Se a ligação cair, a responsabilidade de ligar é da pessoa que ligou primeiro;
  • Ao deixar recado na caixa postal diga o seu nome, objetivo da ligação, data, horário da ligação, assunto e número para retorno. Sobretudo, seja claro.

Estas dicas representam apenas uma pequena parte do universo das noções básicas de educação e cordialidade com o outro. Mas, por motivos óbvios, infelizmente temos que abordá-las de forma insistente e incisiva, para que algum dia, quem sabe, possamos começar a colher alguns bons frutos uns com os outros.

About Antonio Martins Jr.
Fundador e gestor do blog Enfoquenet. Bacharel em Administração de Empresas. MBA em Gestão Estratégica. Autodidata na maior parte do tempo. Webdesigner, com ênfase no WordPress desde o início do século. Aficionado em fotografia e jardinismo.

Comente o post!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *